Quem é você?

A gente faz algumas coisas por tantas vezes e por tanto tempo que chega um momento que essas coisas parecem nos definirem, que são parte de quem somos e já não podemos “ser” sem elas.
E esquecemos que tudo o que fazemos, por mais tempo que seja, são hábitos adquiridos. Ninguém nasce com uma rotina determinada, nem com um certo hábito, profissão ou relacionamento.

O que você responde quando te perguntam sobre vc? As pessoas tendem a dizer: “sou advogada!”, “sou esposa de Cliclano!” ou “estudo tal coisa na faculdade tal”. Mas essas coisas não nos definem. Tais coisas sim, podem dizer sobre as suas escolhas – ou não – e podem ser que levem as pessoas à ter uma visão bem superficial pra poderem imaginar – só imaginar – quem vc é, mas elas não podem te definir. E essas respostas surgem até quando nós mesmos nos perguntamos sobre a nossa identidade, e muitas vezes nos tornamos “reféns” dessas respostas.

Há um tempo atrás, eu passava muito tempo – praticamente o dia todo – na faculdade, e não era nada difícil ver estudantes reclamando por ter que estudar (redundante, não?). Isso quando não estavam fazendo “anotações” proibidas (pegaram a minúncia, né?) nas suas roupas e até na pele. Como poderiam? Eles iriam se tornar profissionais da saúde em alguns anos e lidariam com VIDAS todos os dias. Estudar não é questão de tirar uma boa nota ou passar na matéria, especialmente quando se estuda na área da saúde. Mas o que levavam eles a agirem assim? Suas respostas, creio eu. Deve ser muito orgulho pra um pai dizer que seu filho seguiu a tradição da família e se tornou médico, ou ainda responder “sou farmacêutico!”. Só que não é esse o ponto.

Eu te pergunto: o que é essencial na sua vida? Quero dizer: o que vem da sua essência? O que te faz “te encontrar”? Essa voz que te faz escolher entre uma coisa ou outra, que te faz diferente de todas as outras pessoas, ela sim pode te definir. O triste é que, às vezes, nem a ouvimos, porque o que ela pede não é o que está em nossos planos, ou porque temos outras prioridades no momento. E passamos tanto tempo cumprindo um papel que não escolhemos para nós, vivendo uma vida que não é nossa.

Podemos até colocar um pouco de nós em tudo o que fazemos, mas tudo o que fazemos só pode mostrar um pouco de nós.

Somos capazes de tantas coisas! Existem coisas que a gente pode amar de todo o coração que ainda nem conhecemos. Por isso, a parte mais importante é nos permitir.

Permita-se mudar de ideia, e mudar de novo depois.

Permita-se fazer pela primeira vez coisas novas, ou fazer várias vezes uma mesma coisa pela primeira vez.

Permita-se sentir algo novo, mesmo depois de já saber lidar perfeitamente com os sentimentos conhecidos.

Não tenha medo do desconhecido. Novas experiências só podem te fazer crescer. Arrisque.
O fracasso não existe. Só existe algo sair como se planejava ou de uma forma inesperada. E se o resultado não for como você desejava, tente pela primeira vez de novo.

A vida nos dá tantas possibilidades! Não fique preso às suas respostas. Melhor do que ter respostas prontas, é ser cada dia uma pessoa nova. ;)

Pra ouvir:

Esse texto também me fez lembrar de uma cena de um dos meus filmes favoritos:

Obrigada por ler até aqui! Espero que tenha gostado.

Beijos! ♥

3 respostas
  1. Cinthia.
    Cinthia. says:

    Que texto lindo Bia! Bom, sou nova por aqui, mas esse post parece mais uma conversa de amigas,me sinto íntima para te chamar assim. rsrsrs
    Como não descobri seu blog antes!? rsrsrs
    Seus textos lidos por mim hoje, m trouxeram muita inspiração. Obrigada Bia!

    Responder

Comente aqui!

Quero saber a sua opinião
=)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários